O grupo ‘NDiaz: música aberta ao mundo da Bretanha e muitos lugares

‘NDiaz em poucas palavras

Músicos virtuosos que navegam de um país para outro, ‘NDiaz tem sonoridades jazz, musicas de Este, de Oriente e do Brasil.

Ricos de uma sólida experiência adquirida nos festoù-noz, festivais típicos da Bretanha, os quatro cúmplices afirmam sua concepção do transe com uma música para dançar aberta ao mundo; Youn Kamm orientaliza seu trompete com os perfumes do Líbano e da Turquia. Yann Corre se impregnou de forró brasileiro. Jérôme Kerihuel aperfeiçoou sua técnica de percussão na Índia. Quanto a Timothée Le Bour, seu saxofone vibra como um taragot romeno. Com

a dança de roda como base, as músicas populares do mundo como horizonte e a improvisação como uma linha de fuga, ‘Ndiaz inventa uma música híbrida, globalizada, que teria buscado em outros lugares o meio de se ancorar mais firme aqui.

O grupo bretão ‘NDiaz teve seu primeiro disco lançado em 2014 e vem desenvolvendo uma música voltada para uma experiência de dança transcendental a partir da fusão de diversas culturas do mundo, proposta reafirmada em seu último disco Son’Rod, de 2017. A banda, que traz longa experiência em diversos festivais da França e Europa, fará agora sua primeira turnê brasileira. A formação conta com: Jérôme Kerihuel (percussão), Timothée Le Bour (saxofone), Youn Kamm (trompete, trompa, vocais) e Yann Le Corre (acordeão, fx)

Quem são?

Dos quatro músicos, três já estiveram no Brasil para outros projetos musicais.

Yann Le Corre, frequenta o Brasil há tempos para desenvolver seu forró.

De fato, como acordeonista, o forró é um de seus estilos prediletos. Além disso, tem um grupo que se chama Bel Aire de Forro, composto por uma cantora formidável e um percussionista brasileiro. Yann Le Corre morou um tempo em Belém em 2016 e fez um concerto bem sucedido na Aliança Francesa.

Younn Kam (Youenn Le Cam) é um trompetista bretão que também percorre os palcos dos Fest-Noz. Descoberto por Ibrahim Maalouf, foi seu trompetista durante alguns anos (turnês “Diagnostique” et “Illusion”). Estiveram no Brasil juntos mais especificamente para a turnê do Instituto Francês.

Jérôme Kerihuel, percussionista, ele também esteve envolvido em diferentes projetos. Diplomado em percussão de música popular, toca para o teatro, para criações com sonoros misturando sons eletrônicos e instrumentos. Navega entre

o jazz, tablas indianas (formado no Rajastão) e concertos nos festivais Fest- Noz.

Sobre a Aliança Francesa

Com 133 anos de atividades no Brasil, a Aliança Francesa é uma referência no idioma e sem dúvida, a instituição mais respeitada e conhecida do mundo, quando o assunto é a difusão da língua francesa e das culturas francófonas. Possui, atualmente, mais de 830 unidades em 132 países, onde estudam cerca de 500.000 alunos. Na França, ela conta com escolas e centros culturais para estudantes estrangeiros. O Brasil tem a maior rede mundial de Alianças francesas com 37 associações e 68 unidades.

É a única instituição no Brasil autorizada pela Embaixada da França, a aplicar os exames que dão acesso aos diplomas internacionais DELF e DALF, reconhecidos pelo Ministério da Educação Nacional francês. A Aliança Francesa também é centro de exames oficial para aplicação de testes internacionais com validade de dois anos TCF (Teste de Conhecimento do Francês) e TEF Canadense (Teste de Avaliação de Francês) e do teste nacional com validade de um ano Capes (reconhecido pelas agencias CAPES e CNPq do MEC). A Aliança Francesa no Brasil desenvolve parcerias com inúmeras empresas francesas e brasileiras, além de ser um ator essencial do diálogo cultural franco- brasileiro. Nesse caso, a Aliança Francesa de Campinas, é parceira do Instituto Francês.

Sobre a turnê deles

Cinco datas são previstas para a turnê. Eles irão começar com uma apresentação em um grande palco ao ar livro no Rio de Janeiro, durante as comemorações do IV Dia da Europa, no dia 04 de maio. Essa manifestação organizada pelos centros culturais europeus do Rio, membros do EUNIC, se

tornou um evento de grande amplitude que juntou em sua última edição em 2018 mais de 8,000 pessoas. Um grande palco será instalado para esse dia e o show do ‘NDiaz vai ser o destaque da programação. Vão terminar sua turnê no norte do Brasil com as Alianças de Belém, os 13 e 14 de maio, assim como de Campinas o 16 de maio.

Vão realizar para essa ocasião: uma residência em Recife no Paço do Frevo, centro de referência para músicas e danças populares de Pernambuco, e um trabalho de criação coordenado pelo saxofonista brasileiro Spok. Centro cultural polivalente, o Paço do Frevo é tanto um museu e centro de documentação, como conservatório de dança e de músicas regionais tradicionais do Nordeste do Brasil. Dispõe também de uma radio que pode ser um espaço de difusão durante o tempo de residência.

Veja mais em:

Em imagem: 3 vídeos na página http://www.lusinerie.com/artistes/ndiaz/
As duas faixas lançadas em seu último álbum Son Rod lançado em outubro podem ser encontradas aqui https://soundcloud.com/user-482695927

Data: 16/05/2019 (quinta-feira)
Horário: 20h30
Local: SESC CAMPINAS Rua Dom José I, 270/333 – Bonfim, Campinas – SP, 13070-741