1 novembro 2016, Comentários: 0

Raphaël Blum

Nasceu em 1966, em Forbach, França.

Estudou Artes Plásticas na Université Paris I.

É formado pelo Institut des Langues et Civilisations Orientales (INALCO, Paris).

Desde o final da década de 1990, após várias viagens pela América Latina (Argentina, Bolívia, Brasil, Paraguai) e o Sudeste Asiático (Indonésia e Filipinas), Raphaël desenvolve uma obra multiforme de cunho antropológico focalizada na imagem do outro. A questão do exotismo permanece no cerne das suas pesquisas. A partir de 2005, passa a realizar séries tipológicas, coleções de retratos de transeuntes no Sudeste Asiático, em Paris e nas grandes metrópoles da América Latina (Buenos Aires, São Paulo, Rio…).

Dá às suas obras a forma de instalações, conjuntos fotográficos ou vídeos. Em 2000, foi incentivado por Claude Lévi-Strauss pelos seus trabalhos sobre a América Latina (Argentina). O Volkenkunde Museum/Museu Nacional de Etnologia de Leiden (Holanda) realizou, em 2008, a primeira exposição das suas obras sobre as Filipinas: Manila, catch me if you can!.

Seu trabalho tem sido objeto de exposições e publicações na França e no exterior, em museus, centros de artes, festivais e galerias.

Sobre a Exposição Princesas Urbanas

Châtelet-les-Halles – Paris

Châtelet-les-Halles é ao mesmo tempo o nome da estação de metrô que serve o centro de Paris e o da zona comercial de Halles.

Situado no coração de Paris, o Châtelet-les-Halles é uma concentração tanto horizontal quanto vertical de todo tipo de comércios, destinados principalmente à mulher e sua aparência: butiques de prêt-à-porter, de lingerie, lojas de calçados, perfumarias, joalherias, salões de beleza, lojas de tatuagens, piercings, sex-shops

As que apelidei de urban princesses são legião por aqui. Vêm tanto dos quatro cantos de Paris quanto de fora da cidade, não só para fazer compras e passear, como também para se encontrarem, serem vistas, paquerar… Nas tardes de sábado, a Place des Innocents – ao lado da rua Pierre Lescot – é ponto de encontro das góticas. As belas de ébano também se encontram aí, só que mais perto dos fast-foods ou das escadas rolantes do metrô…

Achamos aqui todas as modas e tendências de indumentárias. A rua Pierre Lescot e a rua St Denis, com suas vielas adjacentes, parecem constituir o destino de passeio ideal das damas que, após muitas e muitas voltas, acabam sempre sumindo em alguma das estações do metrô.

O bairro de Halles, tal como as passagens parisienses do século XIX, abre-se como um palco de representação onde, através dos artifícios da moda, expressam-se os corpos, os desejos e os fantasmas.

As pessoas transformam-se em outras, e mudam de papel tantas vezes quanto podem mudar de aparência! A peça de teatro encenada na rua tem poucas narrativas, tudo se desenrola justamente neste desfile das aparências em que a sedução chega ao erotismo e o passeio torna-se um show!

Reconhecemos, entre outras, Marylin, a Mulher Maravilha, ou Lady Gaga pelas estampas das camisetas. A Lolita não será identificada por nenhum motivo particular, salvo talvez pelo gosto pronunciado por sapatos de salto alto, um jeito mais relaxado e um “ar” algo distante! Identificamos as bonecas pelo nome gravado na pele, a maquiagem caprichada, o rosto mais cheio,  o  cabelo louro. As belezas negras costumam ter um gosto particular pelo exibicionismo. A cor de ébano e as linhas dos seus corpos, que transparecem sob a roupa, parecem naturalmente colocá-las num pedestal de esculturas vivas. As princesas orientais cultivam geralmente um jeito mais provocante e sofisticado quanto à sua aparência, privilegiando o lado brilhante, colorido e desnudo.

As fotos tiradas das urban princesses homenageiam a sua performance urbana, deixando-lhes a liberdade da encenação e dando-lhes uma atenção particular ao seu desejo de aparecer e, portanto, de ser. A imagem valida este desejo, atestando que o show acontece.

Raphaël Blum

Serviço:

Local da Exposição: Aliança Francesa de Campinas

Rua Pandiá Calógeras, 59 – Cambuí – Campinas/SP

Horário de visitação: De segunda à quinta: das 09h00 às 21h30

sextas: das 09h00 às 19h00

sábados: das 09h00 às 12h30

Evento gratuito à partir de 23 de novembro de 2016.

Comments are closed.