Receita para curtir o inverno: saiba como preparar a raclete

19 julho 2017, Comentários: 0

Além do frio, o inverno traz também oportunidades para degustar pratos deliciosos que caem muito bem nessa época do ano. Afinal, você já deve ter pensado em reunir os amigos para comer o tradicional fondue, não é mesmo? Mas que tal inovar no cardápio e preparar a raclete?  A origem dessa receita não é precisa, mas provavelmente surgiu no cantão de Valais entre os camponeses suíços, que derretiam o queijo tipo raclete em volta da fogueira. Em francês, “racler” significa “raspar”, e dá o nome ao prato, já que o queijo é raspado depois de derretido para, então, servi-lo.

Continue a leitura, veja como preparar a raclete e aproveite para marcar um jantar especial com os amigos!

 

Raclete

Raclete

Raclete na versão tradicional

Apesar de ser um prato muito versátil, em que você pode adicionar ingredientes de acordo com seu gosto, a receita tradicional da raclete leva batatas cozidas, pepino em conserva e embutidos como salame, presunto ou outros a sua escolha e, claro, o queijo tipo raclete. Lembre-se de que a qualidade dos ingredientes faz toda diferença no sabor do prato, portanto, opte sempre por produtos de boa procedência! Especialmente na hora de comprar o queijo raclete, confira se há pelo menos 45% de gordura.

O segredo para preparar raclete é o uso da racleteira, um equipamento formado por espaços em que o pedaço do queijo é colocado para ser derretido pelo calor que vem da parte de baixo. Já na parte de cima, você pode manter aquecido os acompanhamentos como as batatas, pães, vegetais e até mesmo carnes. Depois de derretido, é só usar a pá que vem com a racleteira para raspar o queijo no prato do convidado. Coloque à disposição os demais elementos e deixe que cada um monte seu prato como preferir. Muito simples!

A racleteira pode ser encontrada em lojas de utilidades domésticas em diversos tamanhos, inclusive do tipo grill. É só escolher a que mais se adapta às suas necessidades 🙂

 

Use outros tipos de queijo

A receita tem esse nome por causa do queijo utilizado, mas você pode tentar com outros tipos. Fique à vontade! O importante é que seja um queijo mais gorduroso e fácil de derreter. Veja algumas alternativas:

  • Gouda (origem holandesa);
  • Gruyère (origem suíça);
  • Emmental (origem suíça);
  • Camembert (origem francesa);
  • Roquefort  (origem francesa);
  • Gorgonzola (origem italiana).

Segundo o chef Alain Poletto, o ideal é calcular  200 gramas de queijo por pessoa, pois ainda terão os acompanhamentos do prato para complementar. Você também pode variar na composição, incluindo cogumelos cortados bem fininhos e cebola em conserva, por exemplo. Use a criatividade e faça a sua própria experiência gastronômica!

No vídeo a seguir, você pode ver o preparo da receita tradicional e também mais ideias de como fazer a sua raclete:

 

Vinho não pode faltar

A beleza de preparar receitas está em harmonizar todos os elementos e, nesse contexto, as bebidas são fundamentais para equilibrar os sabores. A raclete combina melhor com vinhos brancos e secos, como o Fendant, para suavizar a digestão da gordura proveniente do queijo. Se algum convidado fizer questão de vinho tinto, prefira servir os que são feitos com as uvas Pinot Noir.

Gostou da ideia? Então, agora é só comprar os ingredientes e colocar a mão na massa para compartilhar bons momentos nesse inverno!
Fonte: Comidas e Bebidas – UOL e LCI

Comments are closed.